Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

28/05/2016

Eu li, e você? # 48

Título: Carta náutica das desimportâncias
Autor: Fabíola Rodrigues
Número de páginas: 86
Ano: 2015
Editora: 7Letras

O livro é composto por vários poemas, nos quais a autora compartilha com o leitor algumas de suas experiências de vida. Há poemas mais curtos, como de um parágrafo apenas, assim como os maiores de 2 a 3 páginas.

Achei a linguagem um tanto rebuscada e de difícil compreensão em um primeiro momento, para leitores que não estão habituados a esse estilo de escrita. No entanto, para mim, esse tem sido um fator positivo, pois a obra apresenta grandes semelhanças em relação às principais características das escolas literárias brasileiras, tais como, a riqueza de recursos linguísticos e o jogo de palavras que encheram de significado a poesia de Fabíola. E como apaixonada por Literatura Brasileira Clássica, o estilo de escrita da autora me cativou de um jeito diferente.




A leitura é bem rápida e fluida, recomendo aos fãs de poesia, apesar de a temática dos poemas em geral não ter me chamado tanto a atenção, pois o foco principal da autora está em suas vivências africanas, entre os anos de 2011 e 2015.



CLASSIFICAÇÃO:


BOM!



21/05/2016

# Aniversário - 2 anos do Álbum de Leitura

Olá, pessoas!

É com muita honra e satisfação que hoje anuncio o aniversário de dois anos do blog! Isso mesmo!

Sempre fui apaixonada por todos os tipos de literatura e o Álbum de Leitura foi criado com o intuito de compartilhar meus conhecimentos literários bem como minhas leituras. Escrever é algo fascinante, e é encantador debater com os leitores sobre o ponto de vista acerca dos livros. E eu não conseguiria nada disso sozinha, sem vocês, leitores e leitoras do blog. Hoje somos 498!


Agradeço a todos pelo apoio na realização do projeto: à minha família e amigos que me deram força e incentivaram, aos meus leitores e também, às minhas três editoras lindas parceiras; Belas-Letras, Butterfly e Petit. Meu muito obrigada pela confiança depositada em mim e em meu trabalho. O Álbum de Leitura não seria nada sem vocês!

E para comemorar... tchan tchan tchan

O aniversário é nosso, mas... O presente é de vocês!! É isso mesmo!
Em parceria com a editora Belas-Letras <3 vamos sortear um exemplar do livro Desvende meu coração. O livro é super fofo gente!



Para participar, basta seguir as regras:

- Seguir o blog publicamente. (Basta procurar na lateral direita a caixa "Seguidores" e clicar em "participar deste site", marcar seguir publicamente e prosseguir.)
- Seguir a Editora Belas-Letras nas redes sociais
- Seguir o Álbum de Leitura nas redes sociais (chance extra) 
- Residir no Brasil.

OBS: O blog tem o prazo de 30 dias úteis para enviar o prêmio. Entraremos em contato com o vencedor assim que o sorteio for realizado.

A promoção é válida de 21/05 a 21/06

Boa sorte!!


a Rafflecopter giveaway

16/05/2016

# Sabe que dia é hoje?

             
                 HOJE É DIA DE  CARPINEJAR !


Nós bem que gostaríamos de falar que todo dia é dia de Carpinejar. Porém, hoje o dia é especial: a pré-venda de  Amor à moda antiga  já está no ar, em primeira mão para você. No novo livro de Fabrício Carpinejar, o olhar romantizado sobre os momentos simples do dia a dia transformam as situações em poesias.


Em seu aniversário de 43 anos, Fabrício Carpinejar ganhou de presente uma velha máquina de escrever Olivetti Lettera 82 verde-esmeralda. Desde esse dia, ele se dedica a escrever nela poemas de amor e a guardá-los como um inventário de seus sentimentos e emoções ao longo de sua carreira. Amor à moda antiga reúne esses poemas como os originais foram enviados à editora, em maços de papel, sem nenhum tipo de correção ortográfica, edição ou retoques, inclusive com as próprias anotações à mão feitas pelo próprio Carpinejar. O resultado é um livro orgânico, singelo e apaixonadamente imperfeito, exatamente como o amor é.


Já pensou em ver a foto de você e seu namorado (a/o) estampada na capa do livro AMOR À MODA ANTIGA, do Carpinejar? 

Basta comentar NESTA IMAGEM. Anexe uma foto do casal (a mais bacana que puder!) e conte em poucas linhas por que vocês têm uma grande história de amor.

As melhores histórias vão virar capa de exemplares exclusivos para você presentear o seu grande amor. De quebra, a história de vocês estará gravada na sobrecapa do livro. É um ótimo presente para o dia dos namorados, né? Emoticon wink

// Promoção válida de 16/05/2016 a 30/05/2016
// As melhores histórias serão escolhidas pela nossa equipe.
// Se a sua história for escolhida, você receberá em casa um exemplar de Amor à moda antiga, novo livro do Carpinejar, com uma capa única e exclusiva contendo a sua foto + declaração com o seu grande amor.
// Válido para todas as formas de amor Emoticon smile


Legal né? Só podia ser coisa da nossa querida parceira Editora Belas-Letras! <3
Muito amor envolvido!
Participe e boa sorte!

10/05/2016

# Promoção no site da Editora Butterfly

Olá, pessoal! Como estão? Espero que bem, assim como eu.

Hoje vim trazer uma novidade incrível para os fãs de fantasia, principalmente para os fãs de Juliet Marillier. Isso mesmo!

O site da Editora Butterfly, está com o box da coleção Sevenwaters em promoção! Agora é sua chance de adquirir esses livros incríveis e esquecer de vez que tem vida própria hahah


Para você que não conhece os livros ainda e garanto: está perdendo tempo, segue o link com as resenhas dos três volumes, publicadas aqui no blog;


Não perca tempo! Clique aqui e garanta já o seu!

Beijos!


06/05/2016

# Lidos em Março e Abril

Olá pessoal!

Hoje resolvi fazer um post sobre os livros que eu li nos meses de Janeiro e Fevereiro. Não foram muitos, mas foi o que eu consegui rs'

Segue os livros com sua respectiva classificação:





De todos os livros lidos, o melhor em minha opinião, foi Filha da Profecia de Juliet Marillier, publicado no Brasil pela Editora Butterfly.

E, não diria, o pior, mas sim o mais fraco, foi Compreensão e Produção de textos em Língua Materna e Língua Estrangeira de Alessandra Coutinho Fernandes e Anna Beatriz Paula, publicado pela IBPEX, por se tratar de um livro mais teórico.

Vocês já leram algum desses? Comentem suas opiniões nos comentários!

Beijos literários!

04/05/2016

# Entrevista exclusiva com Giselle Sauer

E aí galera, como vai?

Vocês devem ter visto por aí algumas das fotos lindas que o papai mais pop do Brasil, Marcos Piangers, posta para ilustrar as suas crônicas sobre paternidade. A responsável por alguns dos cliques é Giselle Sauer, fotógrafa que se destaca pela simplicidade dos momentos que registra. Para Giselle, a fotografia deve acompanhar não só o crescimento de uma criança, como também as situações cotidianas que fazem parte da história de uma família. Conversamos com a fotógrafa que lançou no mês de abril Brincar, clicar, amar, um compilado de dicas e instruções para as mamães de primeira viagem que vão querer recordar os momentos dos seus pequenos no futuro.



Belas-Letras: De onde veio a sua paixão pela fotografia?
Giselle: Meu avô gostava de fotografar e então temos muitos registros de infância. Na adolescência eu sempre carregava uma câmera comigo, fosse uma descartável ou qualquer outra, e assim não deixava de registrar as coisas ao meu redor. Mas isso só virou um hobby oficialmente aos 30 anos e, uma vez que a gente ama muito um hobby, acaba por querer tê-lo como profissão. E foi isso que aconteceu.

BL: Qual é a maior dificuldade em fotografar crianças?
Giselle: É muito complicado enumerar dificuldades, pois com o tempo eu fui aprendendo que tudo precisa ser no tempo deles. Sempre me identifiquei com crianças, fui professora durante alguns anos e isso foi um aprendizado enorme. Por vezes eu acho que o mais difícil são os pais e as suas expectativas, as crianças estão sempre prontas para a folia e eu só preciso estar pronta para registrar suas façanhas.

BL: Qual é a sua visão e opinião sobre a fotografia digital e o fato de os velhos álbuns de família estarem cada vez mais raros?
Giselle:
 Eu acho que a fotografia digital é uma revolução, levou o acesso a todas as camadas e facilitou muito que se registre os momentos mais importantes e divertidos. Ver a frequência com que as pessoas imprimem suas memórias diminuir é algo que me deixa extremamente triste, pois somos todos feitos de histórias e não há nada melhor do que folhear um álbum antigo ou resgatar as fotos perdidas em baú. Somos feitos daquilo que contam de nossos pais e dos pais de nossos pais e assim por diante. Quando a geração de hoje tiver seus filhos, teremos uma lacuna gigantesca na história impressa e estes arquivos talvez estejam perdidos em alguma mídia digital antiga. 

BL: Como o livro contribuirá para o seu trabalho como fotógrafa?
Giselle:
 O livro é um compilado de tudo aquilo que explico e ensino aos pais quando os fotografo. Ele não só ajuda a mostrar o quanto um fotógrafo especializado é importante para auxiliar os pais a identificarem as fases que passam rápido, como também a importância de ter registrado todo o amor que existe numa família visto pelos olhos de alguém de fora.

NO BLOG: Como saber qual o melhor momento para fotografar uma criança


*Algumas das fotos escolhidas pela equipe BL

Curtiram a entrevista, assim como eu? Comentem!

Beijo

03/05/2016

Eu li, e você? # 47

Título: Enquanto houver amor haverá esperança
Autor: Sarah Kilimanjaro
Número de páginas: 304
Ano: 2015
Editora: Petit

O casal apaixonado Alex e Viviane decidem começar uma vida juntos, e o fruto desse amor é Erika, uma menina inteligente e amada pelos pais. Tudo ocorria bem, e os três eram uma família feliz. Até o fatídico dia em que a menina sofre um acidente e compromete, num primeiro momento, o movimento das pernas.

Os primeiros capítulos retratam o desespero e desalento dessa família que, muitas vezes fraquejava diante da situação. Era a pequena quem lhes dava forças para continuar. Apesar da atual condição, Erika tinha alegria de viver e acreditava que poderia se curar. Foi nesse momento, que a família aproximou-se das crenças do espiritismo, que fortaleceu-os e ajudou-os a compreender melhor o porquê disso ter acontecido com eles.

Os anos passaram, a medicina, bem como o organismo de Erika evoluíram, e com o crescimento dos ossos e tratamento adequado, a vértebra voltou praticamente à estaca zero, garantindo à menina, agora já moça, a mobilidade das pernas. Em função de ter vivido na própria pele as consequências de um acidente, encontramos Erika, já na metade do livro, prestando vestibular e, consequentemente, sendo aprovada em Medicina. Seu sonho era se especializar em Traumatologia e ajudar àqueles que fossem vítimas de acidentes, assim como ela.

A futura médica também é voluntária em um centro de recuperação para portadores de deficiência, onde através de amor, carinho e música melhora o astral dos pacientes. No entanto, a chegada do famoso corredor de pistas automobilísticas, Maurício, viria a abalar profundamente as estruturas de Erika e de sua família. A lesão grave na coluna, consequência do acidente durante uma corrida, tira do jovem o gosto pela vida. Mimado, arrogante e desgostoso, Maurício agride Erika verbalmente, pois ao mesmo instante em que se sente atraído pela jovem, sente ódio da mesma, sem saber exatamente o motivo. Entre indas e vindas e um relacionamento conturbado, herança de vidas passadas, eles terão de saber lidar com os mais variados tipos de sentimentos e tentar curar as feridas ainda abertas e doloridas. Será que haverá esperança para os dois?



Desde que foi lançado o livro me chamou bastante a atenção e estava curiosíssima para lê-lo, mas só agora tive a oportunidade. A capa é belíssima e tem tudo a ver com a história, além disso, a diagramação está impecável. Mas confesso que o livro não atingiu minhas expectativas, eu esperava, sinceramente, algo a mais. Achei que faltou aprofundar em determinados temas e aconteceram muitas coisas rápido demais e acabei ficando perdida no espaço-tempo, em alguns momentos... De forma geral, o livro nos traz uma belíssima lição de amor, perdão e superação. Mostra que devemos ser pacientes com nossos anseios e que, na vida, tudo tem um porquê, e isso nos faz aceitar melhor nossa condição atual e não condenar Deus como um ser injusto.

"Os problemas existem para serem solucionados e superados, e não para nos vencer. A aprendizagem na Terra é permanente, entretanto, precisamos exercê-la não como um castigo, não como uma desgraça, mas entendê-la como experiência para galgar os degraus da evolução com otimismo, na certeza de que a energia maior que convencionamos chamar de Deus jamais nos colocaria em situações sem saída (...) Deus não castiga, como também não recompensa, pois está acima de todos esses atributos que pertencem a nós, humanos."

CLASSIFICAÇÃO: 



BOM!