Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

20/03/2016

Eu li, e você? # 43

Título: Memórias Póstumas de Brás Cubas
Autor: Machado de Assis
Número de páginas: 209
Ano: 2004
Editora: Gold

O livro é uma autobiografia de um defunto-autor, Brás Cubas, um morto que escreve suas memórias póstumas. Com a narração em primeira pessoa, a história não possui ordem cronológica e é contada partindo do relato do protagonista, que conduz o leitor aos bastidores da sociedade carioca do século XIX. 

A dedicatória do romance já evidencia o caráter impactante da obra: 

“Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico com saudosa lembrança estas memórias póstumas”.

Brás Cubas vinha de uma família rica. Era um menino arteiro, mimado e protegido pelos pais. O garoto tinha como “brinquedo” de estimação o negrinho Prudêncio, que lhe servia de montaria e para maus-tratos em geral. Na escola, Brás era amigo de traquinagem de Quincas Borba. Na juventude, apaixona-se por Marcela a quem dedica a célebre frase: 

“Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis”. 

Seu pai, para dar um basta à situação, toma a resolução mais comum para as classes ricas da época: manda o filho para Coimbra fazer faculdade. Brás Cubas, no entanto, segue contrariado para a universidade, pois Marcela não vai com ele, como combinado. Com o diploma nas mãos e total inaptidão para o trabalho, ele retorna ao Brasil e segue sua existência parasitária, gozando dos privilégios dos bem-nascidos do país. Em certo momento da narrativa, Brás Cubas tem seu segundo e mais duradouro amor: Virgília. Acaba, porém, perdendo a chance de casar-se com ela, pois envolve-se com Eugênia, a linda moça... coxa. Virgília casa-se então com Lobo Neves, o que não a impede de viver um romance proibido com Brás.

Entre idas e vindas, o autor relata que, enquanto inventava o "Emplasto Brás Cubas", um medicamento extraordinário que curaria a melancolia da humanidade, adoece devido à pneumonia e vem a óbito. Ele desqualifica o sentido da vida e vangloria-se por não ter dado continuidade à humanidade.

Ao realçar o vazio da vida de um protagonista fútil, o autor rompe com o padrão romântico das obras da época. Caracterizado por ser bastante enigmático, Machado de Assis é capaz de desmascarar, investigar, denunciar, descobrir o mundo da alma, rir da sociedade e expor as características mais complexas do ser humano, olhando para o passado e para o futuro ao mesmo tempo e, sem dúvida, utiliza-se de todas as suas artimanhas na produção desta incrível obra.

Eu gosto muito das obras do Machadão hahaha e com certeza indico esta obra a todos. Talvez nem todos gostem ou entendam, mas a excelência com que a obra é escrita merece ser apreciada e lida por todos. Eu particularmente, ainda prefiro Dom Casmurro, pois a leitura de certos capítulos desse livro, foi um pouco cansativa, apesar da obra em geral ser muito boa.


Memórias Póstumas de Brás Cubas não ficou restrita apenas em livros, André Klotzel, baseado na obra machadiana levou as aventuras e desventuras de Brás Cubas aos telões, criando uma comédia dramática. Posso dizer que de todos os livros que li e assisti a respectiva adaptação cinematográfica, esse foi, sem dúvida, a que mais me chamou a atenção, por apresentar fidelidade a uma obra tão complexa quanto essa.


CLASSIFICAÇÃO:

MUITO BOM!


24 comentários :

  1. Oie! Eu quase tive a oportunidade de ler o clássico quando foi passada a lista de leitura para o ensino médio, mas sempre que o procurava na biblioteca, estava com outra pessoa não muito inclinada a devolvê-lo. Acabei por nem pesquisar se havia arquivo digital.
    No entanto, por mais que ainda não tenha lido, admiro e reconheço o peso das palavras do autor em sua obra. Acredito que seja uma leitura que traz grandes ensinamentos àquele que está disposto a aprender. Achei interessante o seu comentário sobre a adaptação ter chamado a atenção pela fidelidade, pois não deve ser fácil interpretar algo tão complexo. Pena que algumas partes se tornaram cansativas, mas que ótimo que você pôde aproveitar a leitura *-*

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Fernanda!
      Leia sim,vale a pena ;)

      Beijo

      Excluir
  2. Olá,

    eu li esse clássico no início da adolescência, confesso que não tinha gostado, aliás só li esse vez, acho que era falta de maturidade e também o tipo de escrita do Machado de Assis, acho que essas leituras obrigatórias de ensino médio, o modo pelo qual são impostas, isso é algo que deveria ser mudado, e sim elaborar uma possível lista com 50 livros para o aluno ler. Voltando ao livro eu pretendo ler. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você... Deve mesmo ser mudado! Leia sim, vale a pena!

      Beijos

      Excluir
  3. Puta livro, hein Milena rs
    Eu amo Machado de Assis... É simplesmente encantador o domínio dele em discorrer sobre as mazelas da sociedade e o traço psicológico de cada um dentro dessa grande encenação... Mais atual impossível...
    Li este livro faz uns 15 anos... Agora estou querendo reler alguns clássicos "da escola" e estou pensando em Dom Casmurro... Amo...

    Ótima indicação
    Bjo
    Coordenadas Literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha sim! Realmente, mais atual impossível! Esse é o cara!

      Beijo

      Excluir
  4. Olá,
    Já tive uma oportunidade de ler este livro, mas enganei a professora com resumos da internet, eu sei, foi horrível.Mas, quero ler agora kk! Já ouvi falar durante as aulas, e percebi que lido com vontade, pode ser uma boa leitura.
    Abraços,
    www.isaaczedecc.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha que feio!
      O livro tem umas partes cansativas, mas sem dúvida, é muito bom!

      Beijos

      Excluir
  5. Eu amo esse livro, o sacarmos contido bem como aprecio o filme, que frequentemente passa na TV. Excelente resenha, obra magnífica.

    ResponderExcluir
  6. Oi *---*

    Tenho esse livro da época da escola e nunca li por completo, me sinto até mal mas é a pura realidade. Adorei sua resenha é bem estruturadina e organizada.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Stefani!
      Se tiver a oportunidade, leia. É bem legal ;)

      Beijo

      Excluir
  7. Olá Milena,

    Sabe que fico muito feliz ao me deparar com resenhas da literatura clássica e sempre me faz desejar reler algumas delas. Recentemente, estimulei uma pessoa da academia a ler e ele se empolgou tanto que me disse que leria livros que não curtiu na adolescência por ter sido obrigada pela matéria. Então, leu o Cortiço e amou e disse que a sua percepção hoje e prazer com a leitura foram totalmente diferente da época em que leu para a escola.

    Bjs
    Tânia Bueno
    www.facesdaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tânia. Sem dúvida, a nossa interpretação muda de acordo com nossa evolução seja intelectual ou humana como um todo. Adoro ouvir quando alguém que não gostava dos clássicos passa a admirá-los...

      Beijos

      Excluir
  8. Dizem que essa é uma das melhores e mais profunda obra dele, ainda não li, não conheço muito de Machado fora uns contos, espero logo ler! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Paula! O livro é realmente muito bom!

      Beijos

      Excluir
  9. Oi Milena,

    Eu já li alguns clássicos e até de Machado, mas esse ainda não. E depois de sua bela resenha fiquei curiosa pela história. Esses clássicos brasileiros são ótimos!

    Beijoss,
    Caroline.

    http://albumdeleitura.blogspot.com.br

    Res

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Caroline. Fico feliz que tenha gostado da minha resenha. Espero que se encante também pela obra.

      Beijos

      Excluir
  10. Olá

    Apesar dele ser um dos maiores autores nacionais,nunca li nada de Machado de Assis, o pouco que sei sobre ele aprendi na escola ou ouvindo falar, acho que por causa da linguagem usada no livro eu tenha um pouco de dificuldade em ler os livros dele, aliás não só os dele,mas livros tem essa linguagem, mas quanto a premissa é bem interessante, porque de certa forma ele faz criticas sociais e obras que trazem isso, a maioria é sempre interessante e uma ótima leitura.


    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Olívia. Eu acho que apesar da dificuldade, você deveria dar uma chance aos livros. São realmente muito bons. No começo é meio estranho, confesso, mas depois a leitura flui ;)

      Beijão!

      Excluir
  11. Milena, comigo aconteceu o contrário não gostei nem um pouco de Dom Casmurro, que foi minha primeira experiência com Machado de Assis e adorei o Memórias Póstumas de Brás Cubas. De verdade, este foi o livro que me despertou o interesse pelas obras do Machado, Machadão né HAHA um puta escritor!
    Vi o filme também, e dei muitas risadas, é bom demais. Se quiser ver minhas opiniões sobre, visite o meu blog: http://jardimdoslivrosdahelo.blogspot.com.br/2016/02/memorias-postumas-de-bras-cubas-machado.html
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Heloísa! Sério? Legal! Que bom que também gostou do filme, é muito show!

      Beijos

      Excluir
  12. Amo Memórias Póstumas e amo Machado de Assis! Pra mim o Realismo é a melhor coisa da literatura brasileira! Hahah Eu era bem nova quando li... Tenho muita vontade de reler, acho que iria gostar ainda mais agora.
    E é muito muito extremamente vergonhoso eu ainda não ter lido Dom Casmurro! Kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahah eu tenho certeza que seria melhor ainda agora...

      Miga, leia, é legal! Já te disse kkk

      Excluir