Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

24/11/2020

# Dica de Leitura # 255

Título: O sol vinha descalço
Autor: Eduardo Rosal
Número de páginas: 96
Ano: 2016
Editora: Reformatório

* Exemplar cedido em parceria com a Oasys Cultural.

Em seu livro de estreia, Eduardo Rosal metaforiza o mundo e se deixa levar pelos inúmeros questionamentos e indagações inerentes à nossa essência humana, transformando os objetos em sujeitos e carregando consigo o leve peso das palavras, escolhidas minuciosamente para compor um cenário de rompimento com a tradição, ao mesmo tempo em que suas páginas emanam a sonoridade cifrada do silêncio.

Permeado por aliterações e dividido em cinco partes, este livro é um verdadeiro convite à contemplação do sol, que possui o brilho e a força das pequenas coisas da vida; aquelas, que pouco entendemos, apenas sentimos demais... Uma leitura de encher os olhos e aquecer o coração de todo bom apreciador de poesia.

Por isso, deixo aqui a minha sugestão: tire seus sapatos, dê suas mãos ao sol e deixe que seus sentidos e suas emoções guiem e iluminem o seu caminho por entre os versos da poesia admirável de Eduardo Rosal.

"Tenho tido tão pouco ódio
que chego a ter medo
de não estar sendo
o mais humano que posso."

"Há sempre um anzol de palavras
fisgando almas?"

"A cada golpe
de verso
abrir 
ruas de afeto."

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM!



20/11/2020

# Dica de Leitura # 254

Título: O Jardim Secreto
Autora: Frances Hodgson Burnett
Número de páginas: 240
Ano: 2020
Editora: Autêntica

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Publicado pela primeira vez em 1911, esse clássico infantojuvenil ambientado no início do século passado narra a história de Mary Lennox, uma garotinha de 10 anos, mimada e arrogante, descendente da aristocracia inglesa, mas nascida e criada na Índia, que acaba de ficar órfã e é enviada para a Inglaterra, para morar com um tio que ela nem sequer sabia que existia.

Lá, naquela casa enorme, porém vazia de afeto, Mary descobre a existência de um jardim trancado há mais de dez anos, cuja chave havia sido enterrada em algum lugar daquela misteriosa propriedade pelo próprio tio, um homem assombrado pelas perdas do passado, e não vai sossegar até encontrar o paradeiro deste pequeno objeto que permite a passagem para o tão almejado jardim secreto. Com a ajuda do primo, Colin, que até então vivia recluso em um dos quartos por ter saúde frágil, e Dickon, um garoto adorável que conversa com os animais e com as plantas, Mary começa a desbravar os segredos escondidos naquele jardim abandonado e, aos poucos, acompanhamos o florescer não só do jardim, mas também da garotinha que, mesmo sem perceber, acaba mudando a vida de todos ao seu redor.

Com uma atmosfera mágica e misteriosa, a narrativa de Frances H. Burnett nos leva a refletir sobre a importância de semear bons sentimentos, boas condutas e comportamentos, bem como cultivar o amor e a beleza que as coisas simples da vida têm a nos oferecer.

Mais do que uma história sobre uma menininha que aprende a amar e a ser amada e a valorizar os laços de amizade e a importância do afeto, "O Jardim Secreto" é uma belíssima metáfora sobre crescimento, autoconhecimento e transformação.

Uma história cativante que nos mostra que colhemos o que plantamos e que reavivou memórias adoráveis da minha infância, cujo filme assisti inúmeras vezes a ponto de decorar as falas dos personagens, de tão fascinada pela história que eu era. Tanto é que estava decidida a revisitar essa história neste ano, desta vez através da leitura, e quando recebi essa edição (a mais linda de todas, na minha opinião) da Editora Autêntica, morri de amores! Já entrou para a lista dos livros favoritos da vida e, sem dúvida, é uma das obras mais lindas que já li e que tenho na minha estante. Recomendo para todo e qualquer público e garanto: é impossível não se apaixonar!

"Se você olhar bem, verá que o mundo todo é um jardim..."

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!



16/11/2020

# Dica de Leitura # 253

Título: A Poção Perdida
Autora: Amy Alward
Número de páginas: 448
Ano: 2017
Editora: Jangada

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Após vencer a Caçada Selvagem, a vida de Samantha Kemi mudou totalmente; sua família voltou a ter a notoriedade de outrora, as vendas na loja de poções estão bombando, Zain se tornou seu fiel escudeiro e namorado, e a Princesa Evelyn, sua mais nova melhor amiga. Isso sem falar da avalanche de entrevistas na TV! Isso mesmo! Agora nossa querida alquimista é famosa e tudo que faz ou diz acaba viralizando. 

Prova disso é que em uma entrevista em rede nacional ela alega que sua bisavó é a criadora da poção mais poderosa já preparada e que é uma pena seu diário ter se perdido, caso contrário, isso poderia ser comprovado. Maldita hora que ela deu com a língua nos dentes... Antes mesmo de sair do estúdio, esse vira o assunto mais comentado nos fóruns e há fortes especulações de que se trata da cobiçada poção Aqua Vitae, capaz de curar qualquer doença. Agora, o Reino de Nova está em polvorosa com esse boato e tem gente muito perigosa que não medirá esforços para se apoderar dessa poção perdida.

E como se não bastasse todo esse alvoroço, o avô de Sam começa a sofrer lapsos de memória, Emília Thoth consegue fugir da prisão e a Princesa Evelyn precisa que Sam desenvolva urgentemente uma poção que controle seus poderes mágicos; do contrário, o estrago pode atingir proporções inimagináveis!

Agora, o "Tour Real" da Princesa servirá de disfarce para Sam refazer os passos de sua bisavó, em uma corrida desenfreada contra o tempo, enfrentando criaturas mágicas e poderosas em busca do diário e da fórmula perdida, que pode se tornar uma arma letal se cair em mãos erradas. Será que ela vai conseguir?

Com um ritmo eletrizante e uma história bem explorada, recheada de fantasia, magia e mistério e ambientada nos dias atuais, mas sem perder a pegada de conto de fadas, o segundo volume da trilogia "Diário de uma Garota Alquimista" não deixou nada a desejar, muito pelo contrário. Nesse YA que fala sobre família, amor, amizade e determinação, podemos ver o amadurecimento dos personagens e acabamos nos tornando cada vez mais íntimos desse universo tão apaixonante e cheio de aventuras e reviravoltas surpreendentes. Mal posso esperar para ler o último volume e saber qual será o desfecho dessa trilogia infantojuvenil que conquistou o meu coração desde a primeira página! 

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!



15/11/2020

# Dica de Leitura # 252

Título: A Filha do Reich
Autor: Paulo Stucchi
Número de páginas: 416
Ano: 2019
Editora: Jangada

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

" - Acho que se enterramos a história, também deixamos de compreender por que somos como somos, e de poder planejar para onde vamos."

Hugo Seemann é um publicitário de sucesso que leva uma vida invejável em São Paulo. Tudo muda quando, às vésperas natalinas, recebe a notícia da morte do pai, Olaf, um ex-soldado alemão que serviu no campo de concentração em Plaszow, Cracóvia, durante a Segunda Guerra mundial e se refugiou no Brasil.

A relação entre pai e filho nunca foi das melhores: Hugo sempre se sentiu rejeitado e, após a morte de sua mãe, o distanciamento entre eles só aumentou. Apesar disso, como todo bom filho, ele se encarregou de que nunca faltasse nada ao pai; deixou-o aos cuidados de um profissional e partiu rumo a uma nova vida.

Agora, porém, depois de tanto tempo, Hugo se vê obrigado a retornar à Serra Gaúcha, onde nasceu e cresceu, para cuidar dos trâmites do funeral. No entanto, o que era para ser o ponto final de uma relação cheia de mágoas e ressentimentos acaba sendo o estopim para uma série de descobertas sobre a verdadeira identidade de Olaf Seemann.

Quando, após o sepultamento, Hugo decidiu remexer nas coisas de seu velho pai, jamais poderia supor que ali encontraria um diário com relatos de um dos períodos mais indecorosos da História da humanidade, além de uma carta com os dois últimos pedidos de seu pai: jogar suas cinzas no rio Reno e entregar uma carta à Mariele Goldberg, uma ex-prisioneira judia que, ao que tudo indica, possui um dom especial. E como se não bastasse esse turbilhão de emoções, ele ainda recebe a visita de Valesca, uma jovem que estava à procura de Olaf, a fim de saber o que o motivou a enviar uma carta à sua falecida mãe, Martha.

Decididos a encontrar respostas sobre o passado dos pais e sobre suas próprias origens, Hugo e Valesca embarcam em uma jornada intrigante e, sobretudo, extremamente perigosa rumo à Alemanha e que poderá dar a eles a chance de desvendar antigos segredos mantidos a sete chaves por uma organização nazista secreta que atua desde a época do Terceiro Reich.

Com uma trama bem costurada e capítulos curtos que alternam entre passado (Olaf em 1942) e presente (Hugo em 2006), "A Filha do Reich" nos dá um panorama completo da vida de pai e filho e envereda por um caminho diferente de tudo que li sobre a Segunda Guerra: traz todo um misticismo por trás do poder ultrajante do Terceiro Reich.

Dosando na medida certa todo o drama, suspense, mistério e ação que permeia a narrativa e que traz à tona os mais variados sentimentos, o romance histórico de Paulo Stucchi nos faz redescobrir o significado de viver, perdoar e recomeçar. Um livro rico em dados históricos, muito bem narrado e que merece ser lido e apreciado, tamanha a maestria com que o enredo flui, sem deixar pontas soltas, nos envolvendo da primeira à última página.

"Acho que a redenção se encontra justamente aí. Na capacidade de nos perdoarmos, de enxergarmos nosso passado com outros olhos."

CLASSIFICAÇÃO:  

ÓTIMO!



28/10/2020

# Dica de Leitura # 251

Título: O saber silencioso das coisas
Autor: Gabriel Santamaria
Número de páginas: 92
Ano: 2020
Editora: Sinclair

* Exemplar cedido em parceria com o autor.

Resenhar um livro de poemas não é tarefa fácil. Principalmente porque a poesia não é apenas algo que se lê, mas que se sente, e muitas vezes é difícil traduzir em poucas palavras todos os efeitos que uma obra como essa exerce sobre nós.

"O saber silencioso das coisas" é uma coletânea de poesias que nos permite ver o poeta refletido em sua essência: é como se ele estivesse debruçado sobre um rio de águas límpidas e, nós, leitores, fôssemos capazes de desnudar seus sentimentos, dilemas, aflições e esperanças apenas com o olhar.

Em sua mais recente obra, Gabriel Santamaria nos convida a mergulhar em sua intimidade, conduzindo-nos pelos labirintos da alma humana, por inúmeros questionamentos e reflexões acerca dos reveses da vida, descortinando, em paralelo, paisagens naturais e de beleza exuberante.

Apesar de conter um vocabulário mais erudito, esse é o tipo de livro que deve ser lido e apreciado devagar, a fim de saborear, refletir e se embriagar em cada página!

"... que a vida te conduza
pela vereda estreita da humildade
cujo destino, enfim, é desatar
os derradeiros nós da eternidade"

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM!


# Dica de Leitura # 250

Título: Sol e Sombras
Autor: Aliel Paione
Número de páginas: 453
Ano: 2020
Editora: Pandorga

* Exemplar cedido em parceria com a LC - Agência de Comunicação para Leitura Coletiva.

Dono de uma beleza estonteante, o jovem gaúcho João Antunes da Silveira Savelli, filho de imigrantes açorianos que vieram para o Brasil, mais precisamente para o Rio Grande do Sul, tentar a vida, decide deixar a cidadezinha onde nasceu, sua família e a própria noiva para trás e partir rumo ao desconhecido em busca de um sonho um tanto ambicioso: fazer fortuna após trabalhar no ramo da mineração no estado de Goiás. 

O que ele sequer poderia imaginar era que sua vida sairia dos trilhos e que seu coração se afogaria num mar de inseguranças e incertezas conflitantes após conhecer a bela Henriette e sua mãe, Verônica, uma mulher que exala sensualidade e sedução por onde passa, além da marcante aparição do enigmático Marcus, um homem que cruzará o seu caminho e mudará a sua vida para sempre...

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita do autor e, apesar de ter iniciado pelo segundo volume da trilogia, posso garantir que a compreensão da história como um todo não é comprometida, pois uma independe da outra e o que liga os três livros é o fato de os personagens se cruzarem em algum momento da narrativa.

Outro ponto que me chamou a atenção foi o fato de figuras históricas contracenarem com os personagens do enredo, como é o caso do ex-presidente Getúlio Vargas, o que dá maior veracidade ao contexto nacional do início do século XX abordado no livro, perpassando por aspectos geográficos, sociais, culturais, políticos e históricos do Brasil da década de 20, além da aprofundada inserção da temática LGBTQIA+, carregada de representatividade e intencionalidade.

Com um enredo extremamente descritivo, uma ambientação ilustre e personagens envolventes, o romance histórico de Aliel Paione ganha uma carga dramática no que diz respeito à dualidade psicológica do protagonista, que está à mercê ora do sol, ora das sombras de suas emoções, e nos convida a acompanhar a trajetória de um homem destemido e ambicioso em busca de seus sonhos e de si mesmo.

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!



24/10/2020

# Dica de Leitura # 249

Título: Ho'oponopono
Subtítulo: A antiga prática havaiana da gratidão e do perdão
Autora: Carole Berger
Número de páginas: 160
Ano: 2020
Editora: Pensamento

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

O Ho'oponopono é uma técnica ancestral havaiana que busca, por meio da gratidão e do perdão, resolver feridas e mágoas do passado, alcançando a cura interior e nos proporcionando viver em harmonia conosco e com quem está ao nosso redor. Também pode ser entendido como uma espécie de "higiene mental", inclusive, durante a leitura já pude perceber uma avalanche de boas vibrações e a melhora significativa da minha energia.

O ano de 2020 tem sido difícil de maneira geral, mas para mim tem sido um ano de mudança; o ano em que eu decidi definitivamente mergulhar na minha própria essência, curar antigos traumas e cicatrizar de uma vez por todas algumas feridas abertas há vários anos. Durante muito tempo, tive muita dificuldade em aceitar as coisas e as pessoas como elas são, mas a minha busca constante pela evolução, aliada ao fato de poder vivenciar na prática certas situações, fez com que abrisse a porta da aceitação e trouxe à tona a transmutação de pensamentos negativos em positivos. Foi aí que eu conheci o Ho'oponopono.

Mesmo o livro tendo sido lançado em março deste ano, acabei solicitando-o para a editora apenas neste mês, depois de me aprofundar no tema com o auxílio de pessoas de luz que me nortearam e que me fizeram entender que a vida não deve ser levada a ferro e fogo, que tudo tem um porquê e por isso devemos ser eternamente gratos! Creio que essa obra não poderia ter caído em minhas mãos em momento melhor, pois lapidou de vez o que faltava nesta etapa da minha evolução!

Dividido em quatro capítulos, este precioso guia o conduzirá pelos ensinamentos das leis que regem os princípios do Ho'oponopono, trazendo aprendizados e reflexões sobre nossa forma de ver e encarar a vida e o poder que as nossas escolhas têm. Uma obra inspiradora, ricamente ilustrada e repleta de sabedoria. 

"Aproveite o bom e suporte o ruim, mas não se apegue a nenhum dos dois, pois ambos passarão."

Que possamos sempre aprender e evoluir um pouquinho mais a cada dia e que a prática do perdão e da gratidão se torne um hábito em nossas vidas!

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!