Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

07/11/2018

# Dica de Leitura # 186

Título: Contos de amor dos cinco continentes
Autor: Rogério Andrade Barbosa
Número de páginas: 56
Ano: 2017
Editora: Editora do Brasil

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Ah, as histórias de amor... Como não se encantar por elas? Sempre presentes entre os mais diversos povos, de diversas localidades e diversas línguas, este sentimento tão puro em comum prevalece: o amor.

Neste livro, embarcamos em uma viagem pelos cinco continentes (África, América, Ásia, Europa e Oceania) e somos apresentados a cinco contos, narrados de boca em boca, de geração em geração e recontados por Rogério Andrade Barbosa, preservando os traços marcantes destas histórias mágicas e trágicas, nas quais homens e mulheres enfrentam monstros, tradições, diferenças sociais e até mesmo a própria morte em nome do amor.

Iniciamos a nossa viagem pela Oceania, com o conto Nerida e Birwain, uma história de amor de dois grandes amigos de infância que desafiaram o poder do monstro submerso Wahwee, um anfíbio com cabeça de sapo e corpo de serpente, e morreram abraçados, dando origem aos lírios e juncos dos lagos australianos.

Seguimos viagem para a África, com o conto Yennenga, a mulher-soldado, criada como um menino pelo pai, o imperador Nedega, que sempre teve o sonho de ter um filho homem para ser o seu sucessor no trono. Educada na arte da guerra, a moça de personalidade forte ansiava por ser mãe, contrariando as vontades do pai e sendo expulsa do reino, porém, encontra sua realização e amor verdadeiro nos braços de Riale, um humilde caçador de elefantes que lhe deu seu maior presente: o filho, Uidraogo. E esse fruto de amor dos dois foi o elo que reconectou os laços entre a princesa-guerreira e seu pai imperador.


Somos apresentados na sequência ao conto Os pássaros do arroz e a flor de lótus, que tem sua origem na Ásia, mais precisamente na Tailândia, país budista e com forte crença na reencarnação, que narra a história da princesa e do colhedor de arroz que se reencontram em outra vida, após terem sido separados quando eram pássaros em um incêndio em que morreram com os filhos.

O quarto conto, Flor de Salgueiro e Nuvem Branca, originado em terras americanas, narra a história de um casal separado pela morte, na qual Nuvem Branca desafia as regras mortuárias de seu povo, tentando trazer sua amada, Flor de Salgueiro, de volta à vida. É quando um xamã decide ajudá-los, enviando-os aos céus para que pudessem viver seu amor na eternidade, por isso, segundo a lenda, até hoje, nas noites com muitas estrelas, é possível ver que as duas mais próximas representam Nuvem Branca e Flor de Salgueiro.

O último conto, Os pinheiros de Ugerup, dedicado ao continente europeu, conta a história de amor de Arild e Thale, separados pela condenação do rapaz à prisão, mas graças a sua sagacidade e esperteza, consegue livrar-se do cárcere e viver feliz ao lado de sua amada.

Sempre gostei muito de folclore e foi uma surpresa gratificante conhecer um pouquinho mais sobre as lendas e mistérios de cada continente, ainda mais tendo o amor como protagonista de cada um desses contos maravilhosos. Achei interessante o fato de que as ilustrações foram feitas por profissionais dos respectivos continentes, dando maior prestígio às histórias aqui narradas. Creio que Contos de amor dos cinco continentes seja um livro extremamente interessante tanto para crianças, jovens ou adultos, pois tem muito a agregar em nossa formação cultural. Muito obrigada, Editora do Brasil, por me proporcionar conhecer uma obra tão sensível e fascinante quanto esta.

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!


05/11/2018

# Dica de Leitura # 185

Título: Lexus
Subtítulo: O Despertar da Escuridão
Autor: Paulo Henrique Bragança
Número de páginas: 156
Ano: 2015
Editora: Arwen

* E-book cedido em parceria com o autor.

Bianca tem 17 anos, leva uma vida comum e mora com os pais, os cientistas Antônio e Lilian, e com o irmão mais velho, Lucas, em uma cidade tranquila, chamada Campos Elísios, projetada para garantir aos funcionários dos laboratórios de pesquisas Lexus e demais habitantes da região emprego, renda e qualidade de vida.

Certo dia, enquanto os pais de Bia estavam fora da cidade a trabalho, houve um ataque à base do Lexus e o caos se instalou em Campos Elísios, principalmente porque a queda do laboratório causou a liberação de um agente biológico que se propaga rapidamente, infectando várias pessoas e transformando-as em zumbis.

"...a infecção não escolhia suas vítimas pela cor da pele ou pela quantidade de dinheiro na conta bancária..."

Aterrorizados, Bianca e Lucas agora terão que lutar pela sobrevivência e tentar encontrar uma forma de escapar deste pandemônio em uma corrida desenfreada contra o tempo.


Com uma pegada, estilo The Walking Dead, a história possui muitas reviravoltas; algumas bem surpreendentes e outras nem tanto, mas consegue prender o leitor, instigando-o a descobrir o que vai acontecer no desfecho o mais rápido possível.

A leitura é extremamente fluída e ágil (li em apenas um dia), porém confesso que a protagonista não me agradou. Achei-a um tanto banal e irritante. Ainda bem que o livro não gira apenas ao redor dela, assim, os outros personagens conseguem nos proporcionar uma visão mais abrangente dos acontecimentos. Além disso, algumas cenas que mereciam mais destaque foram narradas rápido demais e outras que dispensavam tantos detalhes acabaram se tornando um pouco extensas, mas isso não tira o mérito do autor. Durante a leitura, é possível perceber que há indícios de que haverá uma continuação, o que me deixou curiosa e com certa expectativa, pois creio que o autor pode se superar e me surpreender no próximo volume.

Acompanhado de uma crítica política e social, repleto de aventuras, perigos e com um toque de instinto de sobrevivência, Lexus é uma boa pedida para os amantes de distopia, terror e suspense.

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM!


03/11/2018

# Dica de Leitura # 184

Título: Em algum lugar do mundo
Autora: Anna Claudia Ramos
Número de páginas: 40
Ano: 2018
Editora: Editora do Brasil

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Criança é criança em qualquer parte do mundo e, diferente do que muitos adultos podem pensar, elas também questionam muitas coisas que acontecem ao seu redor, seja em sua família, na escola ou até mesmo dentro de cada uma delas. E é aí que surgem muitas ideias, histórias fantásticas e até mesmo soluções mirabolantes para salvar o mundo!

Inclusive, neste exato momento, crianças de todas as partes do mundo gostariam de contar o que pensam, o que desejam e os mais diversos sentimentos que habitam em seus pequenos corações. Como o Daniel, por exemplo, que sonha em se tornar um anjo para poder visitar o avô que já faleceu, ou o Stéfano, que pretende encontrar a cura para a saudade.

Já o Vinícius, pretende crescer, casar e se tornar pai, para provar para si mesmo que um pai herói existe, já que o seu sumiu pelo mundo.

Iskra tenta descobrir por que sempre que os adultos estão nervosos, descontam nas crianças e o Chico, como construir uma horta gigante para acabar com a fome no mundo.

Nem tão perto e nem tão distante, Guigo está empenhado em suas pesquisas sobre como criar uma máquina que faz os deveres de casa, enquanto o maior sonho da pobre Rita é começar a estudar.

Inconformada com diversas situações, Hanna questiona a existência do preconceito, afinal, todos deveriam ter o direito de ser como quiserem e fazerem suas próprias escolhas. A Yara, por sua vez, acha uma grande chatice essa história de separar a brincadeira de menina da brincadeira de menino. Talvez seja por isso que Gianna sonha em ser escritora e criar seu próprio mundo de faz de conta, muito mais legal que o real.

Falando em viver um faz de conta, Sueli acredita que ainda vai virar uma sereia para poder nadar ao lado dos golfinhos, enquanto o sonho da Lia é bem mais simples: apenas conhecer o mar.

Estas crianças, de todos os cantos do planeta, têm pensamentos ora semelhantes, ora extremamente diferentes. Porém, uma coisa elas têm em comum: não entendem por que os adultos complicam tanto as coisas, afinal, tudo poderia ser muito mais simples se eles as ouvissem ao invés de tentar calar suas vozes.


Através da pureza, criatividade, imaginação, diversidade étnica e cultural, Em algum lugar do mundo nos traz inúmeras reflexões sobre nossas próprias atitudes diante das mais diversas situações e apresenta uma verdadeira celebração a todas as crianças, geniais em sua essência, múltiplas em suas vozes, desejos, sonhos e aspirações e inspiradoras em sua verdade.

Cheias de imaginação e vontades, brincando aqui e questionando ali, independente de onde estejam, essas pequenas crianças motivam o mundo a ser um lugar melhor. E nós, adultos, devemos despertar esta parte incrível e mágica que, bem lá no fundo, ainda habita em nós. Se pensássemos ou agíssemos com a mesma esperança, sensibilidade e simplicidade das crianças, teríamos uma realidade diferente sobre o mundo que nos cerca.

Com ilustrações fofas e belíssimas, diagramação caprichada e revisão bem feita, somos presenteados com esta maravilhosa obra da Anna Claudia Ramos; um livro que te faz pensar, seja você uma criança, como as desta história, ou então um adulto, disposto a mudar, um pouco que seja, o mundo ao seu redor.

CLASSIFICAÇÃO:   

ÓTIMO!


01/11/2018

# Dica de Leitura # 183

Título: Novo Poder
Subtítulo: Democracia e Tecnologia
Autor: Alê Youssef
Número de páginas: 152
Ano: 2018
Editora: Letramento

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Aquilo que antes era apenas um trabalho de conclusão de curso do autor e ativista Alê Youssef, acaba de se transformar em livro. 

Abordando temas extremamente atuais, esta obra nos leva a refletir - com responsabilidade - se, de fato, lutamos pela democracia, no sentido real da palavra, ou se apenas nos mantemos limitados à mesma bolha social, em que muitos fazem morada: as redes sociais.

Até que ponto chamamos a atenção dos governantes do jeito certo para aquilo que consideramos essencial?

"Os tweets indignados e outras formas de mobilização on-line fazem barulho, mas abalam pouco os planos do governo."
"As hashtags mobilizadoras, as guerras virtuais, os memes e toda forma de ativismo atual, majoritariamente ocupam a timeline de grandes plataformas, geridas por interesses de grandes empresas. Para os ativistas, parece não existir outra maneira de mobilização on-line que não seja travar as disputas nesses grandes condomínios privados, que reúnem grande parte da população."


Novo poder não se trata apenas de uma obra que busca apontar a importância da tecnologia diante da democracia; o autor conseguiu dar luz a pensamentos de pouca circulação em debates tradicionais, nos fazendo pensar não só no papel da política e do próprio Estado, como também sobre a nossa forma de pensar e protestar, além de refletir sobre a atual crise democrática e os pontos positivos e negativos de seus sistemas de representação contemporâneos que, muitas vezes, ao invés de aproximarem, afastam a sociedade da efetiva participação política.

"A falta de protesto é muito perigosa para a sociedade, pois este significa um sintoma de necessidade de mudança social."

Este não é o tipo de livro que costumo ler, mas acredito que ele seja de suma importância para nossa formação como seres sociais e políticos, ainda mais por se tratar de um tema complexo e atual, que nos exige extrema atenção. Acabei demorando um pouco mais do que o previsto com a leitura, pois algumas partes da obra conseguiram me fazer entrar em profundo estado de questionamento, no entanto, posso dizer que tive um bom aproveitamento, apesar da demora para concluir o livro.

Além de possuir folhas amareladas e a capa que tem tudo a ver com o assunto abordado, a diagramação está muito caprichada e a revisão bem feita. A Editora Letramento, mais uma vez, conseguiu se superar.

E para os interessados em se aprofundar no assunto, deixo o seguinte conselho:

Leia devagar. Aprecie. Questione. Reflita.

CLASSIFICAÇÃO: 


MUITO BOM!


30/10/2018

# Dica de Leitura # 182

Título: O melhor lugar do mundo
Autora: Aline Assone Conovalov
Número de páginas: 16
Ano: 2018
Editora: Lura Editorial

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Léo é um coelhinho de três anos de idade que mora com a família em um bosque localizado no Brasil. Além de sua mãe e de seus muitos irmãos, ele tem um avô que o inspira a se tornar cada vez mais questionador e curioso.

Muitas vezes, cansado da algazarra feita pelos irmãozinhos, ele se isola em sua toca para estudar, ler e tentar descobrir coisas novas; entre elas, o significado do seu nome e o porquê de se chamar Leonardo. Ávido por respostas, atualmente ele procura saber qual é o melhor lugar do mundo. Mas mesmo pesquisando aqui e acolá nos muitos livros da sua biblioteca, ele percebeu que esta não é uma tarefa muito fácil... Decidido a decifrar este enigma, pede ajuda ao seu avô Carlos, que atende prontamente e fará o pequeno protagonista entender que este lugar fantástico que ele tanto procura fica aonde menos espera.


"Quando leio, sinto que posso me transportar para vários lugares diferentes e viajar pelos locais onde as histórias acontecem."

A-P-A-I-X-O-N-A-D-A. Não tenho outra forma de descrever meu sentimento em relação a este livro. Abordando o prazer do ato de ler e o poder que a imaginação exerce sobre o desenvolvimento do intelecto infantil, a autora conseguiu desenvolver uma história simples e curta, porém, encantadora. Não sei se eu conseguiria expressar em tão poucas palavras a mesma mensagem que Aline Assone Conovalov nos traz em seu livro de estreia, contribuindo para que os pequenos questionem o mundo ao seu redor e deem asas a sua imaginação.

O melhor lugar do mundo atenta sobre a importância de ter a leitura presente desde muito cedo como um hábito para o desenvolvimento cognitivo das novas gerações e, de quebra, ainda consegue inserir nomes de personalidades importantes, como Carlos Drummond de Andrade e Leonardo da Vinci, de maneira extremamente sutil.

O selo Lurinha é a mais nova aposta da editora para publicação de livros infantis e devo frisar que a obra como um todo não deixou a desejar; a história, a diagramação, a revisão e as ilustrações estão impecáveis! O livro é bem colorido e cheio de vida e, sem dúvida, vai encher os olhos não só das crianças, mas de muitos adultos por aí! Recomendadíssimo!

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!



29/10/2018

# Dica de Leitura # 181

Título: Coração de Poeta
Subtítulo: Em Prosa e Verso
Autor: Marcos São Mateus Mônaco
Número de páginas: 256
Ano: 2018
Editora: Lura Editorial

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Dividido em três partes, Coração de Poeta apresenta, em um primeiro momento, a biografia de um dos maiores defensores dos direitos humanos do século XIX: o escritor Antônio José Soares de Souza Júnior, autor do hino do estado do Rio de Janeiro e patrono da cadeira 42 da Academia Fluminense de Letras. 
"Soares de Souza Júnior foi um incansável lutador pelos direitos humanos, defendendo as ideias de liberdade, em diferentes níveis. Abolicionista e Republicano convicto, utilizou sua obra literária em busca desses ideais. Defendeu a liberdade de um povo brutalmente escravizado, defendeu a independência política e econômica para o seu país, defendeu a dignidade dos excluídos da sociedade e exigiu lisura da classe política no trato da coisa pública."

Com o objetivo de mostrar a sua importância literária e resgatar o seu legado através de recortes de jornais e de uma pequena antologia de poesias, que compreende a segunda parte do livro, e uma de contos, que compõe a terceira, o autor, Marcos Mônaco, soube organizar muito bem toda a sua pesquisa, respeitando a linearidade dos fatos e reunindo trechos de obras, reportagens, recortes de jornais e transcrições críticas da época, caracterizando com maior veemência o período histórico do qual Soares de Souza Júnior fez parte.




Não costumo ler biografias, exceto de pessoas cuja carreira eu acompanho, então posso dizer que este livro foi uma experiência bastante diferente, mas também muito inspiradora após tomar conhecimento da trajetória de um dos dramaturgos mais aplaudidos no Brasil do século XIX, o qual, infelizmente, eu sequer sabia que existia. Sou formada em Letras, e durante os quatro anos de curso, nunca foi tocado no nome deste autor, que tanto fez pelo nosso país através de suas críticas sociais com uma dose exata de sarcasmo. Além de ser extremamente interessante, Coração de Poeta é um prato cheio para os amantes de história e literatura.

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM!



27/10/2018

# Dica de Leitura # 180

Título: Meu mundo no mapa do mundo
Autor: Jonas Ribeiro
Número de páginas: 32
Ano: 2018
Editora: Editora do Brasil

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Apaixonada pelo atlas que ganhou de presente do avô, a protagonista de Meu mundo no mapa do mundo adora brincar de se imaginar cada dia em um país diferente, vivendo outra realidade, falando outra língua, gostando de outras coisas e tendo crenças e hábitos alimentares distintos. 

O tema abordado nas entrelinhas é referente ao choque cultural com o qual as crianças refugiadas se deparam, e o que a nossa querida protagonista quer nos mostrar é que, independentemente da distância geográfica que separa a diversidade presente ao redor do mundo, os sonhos e os sentimentos tornam as pessoas muito mais próximas do que poderíamos imaginar, e o mundo que antes parecia tão grande, reduz-se a um aglomerado de sentimentos intrínsecos, pautados no amor, no respeito e na beleza da diversidade.


As ilustrações são muito fofas, a diagramação e revisão estão impecáveis e, sem dúvida, este pequeno grande livro, que pode ser lido em apenas alguns minutos, nos fará refletir sobre muita coisa e nos trará mensagens incríveis!

*** Este livro foi o escolhido do mês de outubro para cumprir o Desafio 12 Meses Literários 2018, cujo tema era um livro que comece com a inicial do meu nome.

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!