Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18/09/2020

# Dica de Leitura # 242

Título: Cartas de Isabella
Autora: Isabella Fernandez Ibargoyen
Número de páginas: 160
Ano: 2017
Editora: InVerso

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

"Meus olhos insistem em te procurar até mesmo quando estão fechados."

Seria a morte o ponto final de uma grande e bela história de amor?

29 de novembro de 2016.

O avião que levava a equipe da Chapecoense (jogadores, comissão técnica e jornalistas) para uma disputa decisiva em Medelín, na Colômbia, decola de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, mas não chega ao destino esperado, caindo ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro. O trágico acidente deixa o mundo em estado de choque, o Brasil em prantos, muitas famílias despedaçadas e mais de setenta mortos.

A bordo da aeronave, estava o jornalista esportivo Giovane Klein Victória, namorado da também jornalista e autora deste livro, Isabella Fernandez Ibargoyen. Como forma de encontrar conforto e até mesmo amenizar a dor desta perda tão trágica e prematura, ela resolve escrever cartas ao seu amado, contando-lhe o quão avassaladora é a falta que ele faz e quais foram os desafios diários que se viu obrigada a enfrentar após a sua partida. 

Compartilhadas inicialmente nas redes sociais, as cartas estão agora reunidas neste livro, cujo relato vai muito além de meras palavras; transborda sentimentos em forma de amor, carinho, respeito e muita, mas muita saudade. 

Por entre os capítulos, vemos os prints das últimas conversas pelo WhatsApp, as fotos, os objetos guardados, e conhecemos de perto a dor, o desespero e a luta constante de Isabella para transformar em doces lembranças todos os momentos vividos ao lado de seu amor. É triste e angustiante, mas ao mesmo tempo, poético, e por isso, tão bonito!

Essas 122 páginas me fizeram chorar de soluçar e pensar o quanto devemos aproveitar cada momento junto daqueles que amamos, pois são essas lembranças que ficarão para sempre eternizadas em nossas almas.

Obrigada, Isabella, por me fazer refletir sobre a força do amor e sobre a efemeridade da vida. Tenho certeza que o seu relato de aceitação e superação servirá como alento para muita gente, pois você mostrou que pode não ser fácil, mas é possível seguir em frente, viver intensamente e sorrir de novo. Desejo do fundo do meu coração que você seja a cada dia mais feliz. Agora, seu AnGio está em outro plano, guiando seus passos, cuidando de você e cultivando esse amor!

"Arde em mim e agita em meu peito uma canção, com poderes de um mantra que vive agora em mim e viverá para sempre. Um ponto e vírgula. Uma pausa, e não um fim."

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!



14/09/2020

# Dica de Leitura # 241

Título: Escrevinhações
Autora: Andréia Cibele da Luz
Número de páginas: 92
Ano: 2018
Editora: InVerso

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

"Assim caminha o mago escritor
Na alquimia de magias e poções
Tentando desvendar o amor
Em suas humildes escrevinhações."

E se de repente um amontoado de escritos de toda uma vida, reunindo contos, poesias e ensaios; aqueles papeizinhos ora escondidos na gaveta, ora jogados pela casa, feitos de madrugada, quando a insônia resolve entrar sem bater na porta, desse origem a um livro intenso, único e sensível?

Foi assim que Andréia Cibele da Luz conseguiu diversificar suas "escrevinhações" sobre os mais variados temas, dando ênfase principalmente para a espiritualidade e incentivando o autoconhecimento do leitor e a sua constante evolução.

"...se cuidarmos de nosso universo interior, o nosso sorriso e o nosso viver serão sempre iluminados..."

Um livro para ser lido e apreciado devagar, a fim de saborear, refletir e se embriagar em cada página. 

Se você gosta de leituras que mexem com suas emoções, convido você a conhecer essa verdadeira contemplação das escrevinhações da vida. 

"O verdadeiro leitor consiste naquele que se esmera em degustar cada verbo, cada predicado, cada metáfora, cada simbolismo como aquele que saboreia um bom vinho, extraindo dali todas as notas, nuances e fragrâncias que compõem o enredo das viagens nas quais os tapetes mágicos da leitura nos conduzem..."

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM!



11/09/2020

# Dica de Leitura # 240

Título: A menina que sabe chover
Autora: Paula Belmino
Número de páginas: 50
Ano: 2019
Editora: InVerso

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

"Plinc, plonc, 
plinc, plonc.
Abençoada chuva molha a terra, 
germina sementes, 
alegra as crianças 
e a alma também floresce 
de fé, recomeço e esperança."

Maria é uma típica menina do sertão nordestino que convive diariamente com a seca e espera ansiosa pela tão almejada chuva, imprescindível para a vida germinar e florir.

Enquanto muitos, em várias partes do Brasil, lamentam a chegada dos dias chuvosos, Maria enaltece esse acontecimento, visto em sua terra como uma grande e verdadeira bênção, por isso pula, canta e dança alegremente em uma reverência poética à essas sagradas gotas de vida e nos convida a tomar um delicioso banho de chuva em solo nordestino.

A ilustração é um show à parte. Prova de que tudo nesta obra foi muito bem pensado a fim não só de ser entendido, mas principalmente sentido, tanto pelas crianças quanto pelos adultos. Além, é claro, de alertar o leitor sobre o cuidado que se deve ter com a água e de ressaltar a cultura e as raízes de quem vive no sertão.

Extremamente sensível, esse livro faz chover delicadeza e inspiração e cantar a doce melodia do amor através de versos singelos, regados de ensinamentos e reflexões. Uma verdadeira obra de arte, que eu indico a todas as idades!

"Se tudo virar terra, seja semente."

CLASSIFICAÇÃO:

MUITO BOM!



31/08/2020

# Dica de Leitura # 239

Título: No final ficam os cedros
Autor: Pierre Jarawan
Número de páginas: 440
Ano: 2020
Editora: Jangada

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

"Se um cedro pudesse falar, nos contaria histórias que nunca esqueceríamos."

Samir é um garoto de 7 anos, filho de refugiados libaneses que receberam asilo político na Alemanha. Ele possui um elo muito forte com o pai, Brahim, que além de ser um homem afetuoso e admirado por todos, é um exímio contador de histórias. É assim que o menino conhece lugares incríveis, entre eles, o País dos Cedros, como é denominado o Líbano, a terra natal da sua família, que ele nunca teve a oportunidade de visitar pessoalmente, mas que sonha conhecer um dia.

Vivendo rodeado de pessoas com uma realidade parecida com a sua, ele vive uma infância feliz ao lado dos pais, da irmã, da sua melhor amiga, Yasmin, e do pai dela, Hakim.

Mas tudo muda quando seu pai desaparece misteriosamente, sem deixar vestígios, causando marcas profundas em toda a família, principalmente em Samir, que cresce cheio de mágoa, ressentimento e com uma dificuldade muito grande de criar laços. Vinte anos mais tarde, ainda inconformado, porém decidido a decifrar esse enigma que dilacera seu coração há tanto tempo, ele parte em busca do desconhecido e viaja para Beirute, palco dos contos de sua infância, apenas com um misterioso slide em mãos e as lembranças das histórias do pai na bagagem, a fim de encontrar pistas à sombra dos famosos cedros libaneses.

Essa investigação o conduz por um país ainda dividido, e podemos acompanhar de perto sua jornada geográfica, cultural e interna em busca de respostas, crescimento, aceitação e de si mesmo à medida as peças desse grande e enigmático quebra-cabeça vão se encaixando e trazendo à tona a seguinte reflexão: até que ponto um pai pode nortear a vida de um filho, fazendo-o esquecer do mais importante, que é viver?

Dividido em três partes e ambientado na Alemanha e no Líbano, "No final ficam os cedros" é um ficção histórica envolvente, cuidadosa, bem articulada, intensa e emocionante, marcada pela atualidade e repleta de revelações surpreendentes que prendem a atenção do leitor do primeiro ao último capítulo. Um drama familiar brilhante e sensível, que delineia presente e passado de forma fascinante e única, capaz de encantar todo e qualquer bom apreciador de literatura.

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!



28/08/2020

# Dica de Leitura # 238

Título: O Oráculo da Lua Vermelha
Subtítulo: Mensagens de sacralidade feminina interior para vivenciar o seu ciclo menstrual de forma plena e criativa
Autora: Miranda Gray
Número de páginas: 88
Ano: 2020
Editora: Pensamento

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

"Todas nós somos um único ciclo mudando sempre, mas permanecendo as mesmas."

O ciclo menstrual é, para a maioria das mulheres, extremamente estressante, sobretudo por conta das alterações hormonais às quais o nosso corpo se sujeita, entre elas, a tão indesejada fase menstrual, acompanhada das terríveis cólicas.

Mas vocês sabiam que toda a energia do universo gira em torno do ciclo menstrual e do útero feminino?

Isso acontece porque a nossa natureza cíclica é influenciada diretamente pelas fases da Lua, pelas quatro estações, pelos mares, pelos quatro arquétipos femininos (a Donzela, a Mãe, a Feiticeira e a Bruxa Anciã) e pelo ciclo da vida como um todo. 

Através deste guia prático com 41 cartas belamente ilustradas e com mensagens profundas e reflexivas sobre amor, aceitação e empoderamento, conseguimos enxergar a conexão que há entre todos esses ciclos, a influência que um tem sobre o outro, além de permitir maior aproximação da nossa essência feminina.

Não tenho como negar; minha percepção mudou completamente após concluir a leitura deste oráculo. Jamais pensei que seria possível enxergar o ciclo menstrual de forma tão intensa, positiva, e eu diria até, sagrada. 

Nós, mulheres, temos muito poder dentro de nós para mudar tudo ao nosso redor, e nos conectar com a nossa energia e misticidade femininas é o primeiro passo. Que tal, então, a partir de agora, você também ter o ciclo menstrual como um grande aliado? Se você, assim como eu, quer aproveitar a quarentena para harmonizar sua espiritualidade, adquirir sabedoria, revisitar a sua essência e evoluir como ser humano, então esse pequeno grande livro é minha dica mais que especial para você! Aprecie sem moderação!

"Encontre o encantamento em cada momento e em cada coisa, e veja a magia cintilar na sua vida."

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM



23/08/2020

# Dica de Leitura # 237

Título: Talvez você deva conversar com alguém
Subtítulo: Uma terapeuta, o terapeuta dela e a vida de todos nós
Autora: Lori Gottlieb
Número de páginas: 448
Ano: 2020
Editora: Vestígio

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Lori Gottlieb já se aventurou trabalhando nas mais diversas áreas, mas não conseguia encontrar em nenhuma delas o que realmente buscava: ajudar o próximo de maneira íntima, intensa e constante. Foi só depois dos 30, quando arriscou cursar Psicologia, que encontrou, finalmente, sua vocação.

Habituada a ouvir, ajudar e aconselhar seus pacientes, como todo terapeuta, de repente é Lori que se vê precisando de um. O motivo? O término do relacionamento de dois anos com o namorado, cuja justificativa foi não conseguir viver debaixo do mesmo teto que seu filho de 8 anos. Inconformada e sem saber como lidar com a situação, ela aceita a sugestão de uma amiga e procura por ajuda profissional. E é durante sua terapia que ela percebe que tem mais em comum com seus próprios pacientes do que poderia imaginar.

"De todas as minhas credenciais como terapeuta, a mais significativa é eu ser membro de carteirinha da raça humana."

Com uma narrativa híbrida, que mescla os dois lados do divã, "Talvez você deva conversar com alguém" aborda os mais diversos assuntos e fala sobre a humanidade dentro de cada um de nós, afinal, todos temos nossos próprios medos, inseguranças, alegrias, tristezas e travamos constantemente batalhas internas.

"Não há hierarquia de dor. O sofrimento não deve ser classificado, porque a dor não é uma competição."

Um fator muito positivo é que ao contrário do que possa parecer, o livro não tem uma linguagem técnica. É uma espécie de diário com os relatos de uma terapeuta que assume sua vulnerabilidade sem pensar em julgamentos e que aceita que nem sempre conseguimos lidar com os problemas sozinhos. Se isso acontecer algum dia com você, não hesite. Talvez você (também) deva conversar com alguém.

Mais que um livro sobre auto-ajuda ou terapia, esse best-seller é uma obra sem contraindicações; uma narrativa profundamente humana, intensa e sensível, que todos deveriam ler, pois tem muito a nos agregar.

"A maioria das grandes transformações resulta de centenas de pequenos passos, quase imperceptíveis, que damos ao longo do caminho."

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!


15/08/2020

# Dica de Leitura # 236

Título: Mil quilômetros mar adentro
Autor: Ariel Seleme
Número de páginas: 353
Ano: 2020
Editora: InVerso

* Exemplar cedido em parceria com a editora.

Ariosto precisou amadurecer muito cedo, pois era apenas um garoto quando ficou órfão. Sem nenhum parente vivo, ele poderia se sentir completamente sozinho no mundo se não fosse a presença e ajuda constante de Adamastor, um dos funcionários da peixaria de seu pai, que praticamente terminou de criá-lo e lhe orientou a administrar os negócios da família.

Conforme ia crescendo, Ariosto foi se aprimorando e aos poucos conquistando o espaço comercial, agora não apenas com a peixaria que herdara, mas também com a criação de uma rede de supermercados, que alavancou de vez a sua carreira profissional.

Seu sucesso, entretanto, não vinha apenas de uma boa administração, mas também graças a honestidade, simplicidade, respeito, valorização e amizade com que tratava seus empregados e clientes. Inclusive, resolveu investir na educação de seus funcionários para que eles sempre pudessem aprender mais. Foi assim que conheceu seu primeiro grande amor: a professora Aurora. Mas como o destino adora pregar peças, tirou a moça de seu caminho de uma maneira muito triste e cruel.

"Mais uma vez, amor e morte mudando a vida, reconstruindo o futuro, refazendo os destinos."

Depois de quase enlouquecer, o nosso protagonista resolve dar uma guinada na sua vida. Deixa os negócios sob responsabilidade dos funcionários de sua confiança e parte em busca de um novo recomeço para si, trilhando a carreira de faroleiro da Marinha. É assim que embarcamos em uma incrível e intensa viagem mil quilômetros mar adentro, que traz à tona novas culturas e costumes, além de belíssimas reflexões sobre coragem, escolhas e determinação.

É com essas idas e vindas extremamente originais e fluidas que o autor consegue criar uma conexão especial entre leitor e personagem, de forma que não tem como não se afeiçoar a  essência de Ariosto e a sua jornada em busca de si mesmo.

Apesar de algumas partes não terem sido tão exploradas quanto eu esperava, isso não tira o brilho desta literatura histórica que fala sobre progresso, maturidade e cultura, e que consegue cativar qualquer um com facilidade.

CLASSIFICAÇÃO: 

MUITO BOM!