Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

25/07/2017

# Eu li, e você? # 110

Título: Quem me roubou de mim?
Subtítulo: O sequestro da subjetividade e o desafio de ser pessoa
Autor: Fábio de Melo
Número de páginas: 152
Ano: 2008
Editora: Canção Nova

Para quem me acompanha aqui no blog, sabe que eu sou uma grande fã dos ensinamentos Padre Fábio de Melo e sua capacidade de nos dar um tapa na cara de forma sutil. Em outras palavras: tratar de assuntos complicados de maneira que nos faça entender a simplicidade que há por trás daquilo que nós, muitas vezes complicamos e nos ajudar a encarar tudo com maturidade e naturalidade.

Quem me roubou de mim? já estava há algum tempo na minha estante, mas dias atrás, resolvi parar tudo e ler. O livro começa estabelecendo um paralelo entre o sequestro físico e o subjetivo. Em ambos os casos, o sujeito torna-se refém de uma terceira pessoa, perdendo seu direito de ir e vir. A diferença é que no primeiro tipo de sequestro, o indivíduo é prisioneiro em um cativeiro físico, enquanto que no segundo, é aprisionado no cativeiro da alma.

Esse tipo de sequestro velado é muito mais comum do que se imagina. Aos poucos vamos sendo roubados por pessoas que julgamos amar intensamente, mas que não passam de nossos algozes. O livro traz relatos de relacionamentos abusivos cujos protagonistas são pais e filhos, casais de namorados, marido e mulher, professor e aluno, e até mesmo entre amigos que se sujeitam a essas situações por medo, necessidade, autoritarismo, baixa autoestima, ou até mesmo por achar que amam demais...

"O que dá testemunho de nosso amor não é a declaração que a linguagem das palavras nos permite, mas é a linguagem dos gestos que concretizamos diariamente."

A leitura precisa ser feita de maneira atenta e reflexiva. Independente da religião, o livro é mais que indicado, pois traz um direcionamento psicológico, com o intuito de ajudar o leitor a se conhecer, a se questionar e a se libertar de tudo aquilo que o aprisiona. 

CLASSIFICAÇÃO: 

ÓTIMO!


6 comentários :

  1. Eu também amo o Padre, já li vários livros dele, inclusive esse, e é muito bom. O que mais amo é tempo de esperas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sempre tive curiosidade em ler os livros dele... Depois da sua resenha, fiquei empolgada para conhecer um pouco mais, acho que vou arriscar a leitura!

    ResponderExcluir
  3. "
    Para quem me acompanha aqui no blog, sabe que eu sou uma grande fã dos ensinamentos Padre Fábio de Melo e sua capacidade de nos dar um tapa na cara de forma sutil. Em outras palavras: tratar de assuntos complicados de maneira que nos faça entender a simplicidade que há por trás daquilo que nós, muitas vezes complicamos e nos ajudar a encarar tudo com maturidade e naturalidade"

    Concordo plenamente, ele nos faz parar para pensar, adorei seu post e fiquei muito curiosa sobre o livro!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá! tudo bom?
    Ótima resenha, pequena, rápida de ler e assertiva.
    Eu nunca li o livro, mas gosto de ler ensinamentos como esse.
    Parabéns pelo post.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, amiga! Tudo bem?
    Adoro as reflexões do Padre Fábio também, principalmente o bom humor que ele usa em suas redes sociais. Acredito que dessa forma ele consegue o carisma e muitos adeptos aos ensinamentos, não apenas religiosos, mas da vida.
    Dois amigos já tinham me indicado antes, e agora com sua resenha fiquei ainda mais interessada. Dica anotada! Beijão :*

    ResponderExcluir
  6. Tenho vontade de ler algum livro dele, mas ainda não tive a oportunidade.
    Eu sempre intercalo as minhas leituras ficcionais com livros não-ficcionais, como esse.
    Anotei a dica.
    Bjsss

    ResponderExcluir